Cloridrato de Ciclobenzaprina – Bula, Efeitos Colaterais, Contraindicações

O corpo humano é uma máquina, onde cada órgão depende de outro. Mas há algumas partes que absorvem quase todos os impactos que temos em nosso dia a dia, sejam eles mínimos ou mais pesados. A nossa musculatura é o que gera a nossa força e resistência, portando sentimos muitas dores nos músculos, seja porque andamos muito, ficamos muito tempo sentados, praticamos esportes ou até mesmo quando dormimos demais.

Quando exageramos em alguma atividade, podemos sentir que nossos músculos trabalharam demais e como consequência disso as dores vem nos acompanhar. O cloridrato de ciclobenzaprina é um medicamento que visa tratar alguns problemas musculares.

Para que serve

O cloridrato de ciclobenzaprina é um medicamento que foi desenvolvido para tratar de espasmos musculares que estão associados com a dor etiologia músculo esquelética e as dores. Exemplos delas são as lombalgias, fibromialgia, torcicolos, periartrite, cervicobraquialgias e escápulo-umeral.

Essa medicação possui outras funções, como auxiliar no alívio de sintomas, acompanhando tratamentos à base de fisioterapia e repouso. O cloridrato de ciclobenzaprina é um remédio que é muito mais conhecido por relaxar a musculatura de uma maneira que evita a contração involuntário do músculo, mas sem prejudicar a função principal dele.


Como funciona o Cloridrato de Ciclobenzaprina

Sendo um relaxante muscular que evita o espasmo e contração muscular involuntária, cloridrato de ciclobenzaprina é considerado um relaxante muscular. Em resumo, pode-se dizer que sua principal função é apenas relaxar o músculo. Em termos mais técnicos, ele age na origem local do espasmo músculo esquelético, evitando que ele aconteça, mas sem impedir as funções do músculo.

Apesar disso, é um medicamento um pouco forte e não deve ser utilizado por mais de três semanas consecutivas. E isso raramente acontece, pois espamos musculares mais fortes, com dores agudas, não costumam durar muito tempo, o que inviabilizaria um tratamento longo. Após uma hora da ingestão de cloridrato de ciclobenzaprina, já é possível perceber a melhora nas dores.

Como usar

O cloridrato de ciclobenzaprina é um medicamento que deve ser administrado sempre via oral. Cloridrato de CiclobenzaprinaCom comprimidos revestidos de 5 mg e 10 mg, ele deve ser ingerido sempre com água.

A dose comum varia entre 20 mg a 40 mg por dia, sendo administrado de duas a quatro vezes por dia. Deste jeito, o paciente deve tomar a cada 6 horas ou a cada 12 horas.

A dose máxima permitida é de até 60 mg. Lembrando que ele não deve ser administrado por mais de três semanas. Antes do uso, o diagnóstico do médico se faz necessário.

Contraindicação do Cloridrato de Ciclobenzaprina

Nenhum paciente deve fazer uso de cloridrato de ciclobenzaprina se apresentar uma das seguintes situações citadas abaixo:

  • Se possuir hipersensibilidade à ciclobenzaprina ou então a outro qualquer componente presente na fórmula do medicamento.
  • Pessoas que possuam retenção urinária ou glaucoma.
  • Pessoas que fazem uso de inibidores da monoaminoxidase (IMAO) não devem administrar junto com cloridrato de ciclobenzaprina.
  • Pacientes em fase aguda pós-infarto do miocárdio devem evitar o medicamento.
  • Pessoas que sofrem de arritmia cardíaca, alteração da conduta, bloqueio cardíaco, hipertireoidismo ou insuficiência cardíaca congestiva.
  • Além disso, a não ser que seja autorizado pelo médico responsável, mulheres grávidas não devem fazer o uso de cloridrato de ciclobenzaprina.

Efeitos colaterais do Cloridrato de Ciclobenzaprina

Como dito antes, cloridrato de ciclobenzaprina é um medicamento um pouco forte e ele traz algumas reações adversas. Algumas dessas reações foram observadas em diferentes pessoas e potencias diferentes. Entre as principais, estão:

Excesso de sono, sensação de secura na boca, canseira, vertigem, mente confusa, cefaleia (dor de cabeça), intestino desregulado, dor na região abdominal, irritação, boca amarga, visão turva, sinais de refluxo, reação alérgica, formigamento, pressão arterial desregulada e pele amarelada.

Caso o paciente venha a apresentar esses sintomas ou então outros não citados, deve procurar orientação médica. A aparição deles ou então a persistência pode indicar problemas maiores ou em você ou em relação ao remédio.

Superdosagem

Lembrando que a dosagem máxima permitida desse medicamento é de até 60 mg. Caso venha a ingerir, acidentalmente ou não, mais do que isso, possíveis reações podem acontecer. Doses altas de cloridrato de ciclobenzaprina podem ocasionar em confusão temporária, alucinação visual transitória, distúrbios na concentração, agitação, rigidez matinal, reflexos hiperativos, hiperpirexia ou vômitos.

Além disso, o paciente pode apresentar aumento da pressão, batimentos cardíacos acelerados, tonturas e tremores. Sem contar que todas as reações adversas podem sofrer uma potencialização.

Caso haja superdosagem de cloridrato de ciclobenzaprina, procure um pronto-socorro imediatamente.

Composição do Cloridrato de Ciclobenzaprina

Sendo comercializado em dois tamanhos diferentes, a composição de cloridrato de ciclobenzaprina varia levemente. Nos comprimidos revestidos de 5 mg, contém 4,415 mg de ciclobenzaprina base. O resto do medicamento é de seus excipientes, que são celulose microcristalina, croscarmelose sódica, fosfato tricálcico, lactose, hipromelose, estearato de magnésio, macrogol, óxido férrico amarelo e dióxido de titânio.

No caso dos comprimidos revestidos de 10 mg, cada um possui 8,83 mg de ciclobenzaprina base. O resto é composto pelos seguintes excipientes: celulose microcristalina, croscarmelose sódica, fosfato tricálcico, lactose, hipromelose, macrogol, estearato de magnésio, óxido férrico amarelo e dióxido de titânio.

Precauções

O cloridrato de ciclobenzaprina é um medicamento que se liga estruturalmente com alguns dos antidepressivos da classe dos tricíclicos (por exemplo, imipramina e amitriptilina). Quando administrado em doses superiores às recomendadas, algumas reações graves podem acontecer no sistema nervoso central (SNC).

Além disso, a ciclobenzaprina interage diretamente com a monoaminoxidase, podendo ocasionar em crise convulsões severas e hiperpirética, onde podem ocorrer mortes pacientes que façam tratamento com os antidepressivos tricíclicos, incluíndo a pargilina, a furazolidona, a procarbazina e IMAO. A ciclobenzaprina pode potencializar os efeitos dos barbitúricos, do álcool e de outras drogas depressoras do sistema nervoso central.

O cloridrato de ciclobenzaprina deve ser usado com cuidado por pacientes com histórico de retenção urinária, que sofrem de pressão intraocular elevada, com glaucoma de ângulo fechado ou então por aqueles em tratamento com medicação anticolinérgica.

Pacientes com antecedentes de taquicardia, assim como os que têm hipertrofia prostática, precisam se submeter à uma cuidadosa avaliação dos efeitos colaterais da medicação. Cloridrato de ciclobenzaprina também não é indicado para pacientes em recuperação do infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca congestiva, nas arritmias cardíacas e bloqueio cardíaco

O uso de cloridrato de ciclobenzaprina por períodos superiores a três semanas precisa ser acompanhamento de perto pelo médico. Além disso, não foi estabelecida a eficácia e segurança de ciclobenzaprina em menores de 15 anos.

Ainda não há conhecimento se a droga é excretada no leite materno, durante a amamentação. Mantenha o medicamento sempre longe de crianças para evitar o risco de superdosagem acidental.

Interação do Cloridrato de Ciclobenzaprina com outros remédios

O cloridrato de ciclobenzaprina pode potencializar os efeitos do álcool, dos depressores do SNC e dos barbituratos. Além disso, antidepressivos tricíclicos conseguem bloquear a ação antihipertensiva da guantidina. Antimuscarínicos e antidiscinéticos podem sua ação potencializada, ocasionando em problemas gastrintestinais e a íleo paralítico.

Já com os inibidores da monoaminoxidase, se faz necessário um intervalo mínimo de 14 dias entre a administração deles e da ciclobenzaprina.

Cloridrato de Ciclobenzaprina PreçoCloridrato de Ciclobenzaprina Bula

Cloridrato de ciclobenzaprina pode ser encontrado também em seu nome comercial, que é Miosan. O laboratório do medicamento é a Eurofarma. O preço do cloridrato de ciclobenzaprina varia entre R$ 10 e R$ 25, dependendo de qual o modelo (5 mg ou 10 mg) e da quantidade de comprimidos na embalagem, que é de 15 e 30 comprimidos revestidos.

Por ser um medicamento forte, ele só é vendido mediante a apresentação de receita médica branca. Procure sempre um médico responsável para indicar se esse é o tratamento correto para os seus sintomas.

Cloridrato de Ciclobenzaprina Genérico

É possível encontrar genérico para o cloridrato de ciclobenzaprina. Por exemplo, a EMS comercializa dez comprimidos revestidos de 10 mg por menos de R$ 10. Outras marcas também produzem e comercializam genéricos de cloridrato de ciclobenzaprina. Apesar de mais barato, fique sempre atento aos preços das farmácias, pois pode haver uma grave mudança entre uma e outra.

Pergunta dos leitores

Cloridrato de Ciclobenzaprina da sono?

Assim como a tontura e xerostomia, sonolência é uma reação muito comum do cloridrato de ciclobenzaprina. Mais de 10% dos pacientes relataram sentir sono após fazer o uso deste medicamento.

Por isso é importante não realizar atividades que exijam atenção, como dirigir, após fazer o uso de cloridrato de ciclobenzaprina.

Cloridrato de Ciclobenzaprina engorda?

Não há nenhum estudo que indique ou prove que cloridrato de ciclobenzaprina engorda. O que pode acontecer é que o remédio pode provocar edema facial ou retenção de líquidos, mas isso apenas causa a impressão de que houve aumento de peso, mas na verdade não houve. Aliás, é uma reação pouquíssimo comum do medicamento.

Quais os nomes comerciais de Cloridrato de Ciclobenzaprina?

Os nomes comerciais mais famosos são: Miosan, Mirtaz e Musulare, sendo que o primeiro é o mais comum e conhecido.

Cloridrato de Ciclobenzaprina é um anti-inflamatório?

Não, ele não vai combater inflamações porque ele não é um anti-inflamatório. O que ele faz é apenas relaxar a musculatura de seu corpo.

Cloridrato de Ciclobenzaprina causa dependência?

Não há nenhum estudo que prove – ou pelo menos indique – que o cloridrato de ciclobenzaprina cause dependência. E mesmo após a interrupção do medicamento, seu corpo não sentirá falta dele.