Venlafaxina Bula – Para Que Serve? Engorda ou Emagrece? Preço!

Venlafaxina é uma droga do tipo psicotrópica. É indicada para o uso oral, para adultos.

Tem apresentações em cápsulas de liberação controlada, com dosagens de 37,5 mg; 75 mg e 150 mg.


Para que serve o Venlafaxina

Venlafaxina é uma medicação que está indicada para o tratamento da depressão, incluindo aquelas acompanhadas por ansiedade. Também é usada para prevenir recaídas e depressão recorrente.

O medicamento ainda é recomendado para o tratamento do  Transtorno de Ansiedade Social (TAS), do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), da Fobia Social e do Transtorno do Pânico.

Como funciona o Venlafaxina

O medicamento, cuja substância ativa é a Venlafaxina e a O-desmetilvenlafaxina (ODV), que trata-se seu metabólito ativo, são  agentes chamados de inibidores da recaptação neuronal de serotonina, norepinefrina e dopamina. Ou seja, a medicação eleva a concentração de neurotransmissores, que proporcionam a melhora da depressão e da ansiedade. Os neurotransmissores envolvidos nesse processo são: serotonina, norepinefrina e dopamina.

A ação terapêutica costuma começar a acontecer no prazo de 3 a 4 dias, após o início do tratamento.

caixa de Venlafaxina

Como usar o Venlafaxina (Posologia)

As doses recomendadas de venlafaxina dependem do quadro apresentação pelo paciente. Em geral, as posologias indicadas são:

  • Depressão Maior: a dose inicial indicada é de 75 mg, tomada 1 vez ao dia. Pessoas que não respondem à dose inicial podem ter a dose aumentada até 225 mg ao dia.
  • Transtorno de Ansiedade Generalizada: a dose inicial indicada de venlafaxina é de 75 mg, administrada 1 vez por dia. Caso o paciente não responda a dose inicial, ela pode ser aumentada até  225 mg ao dia.
  • Fobia Social: a A dose inicial de venlafaxina indicada é de 75 mg, tomada 1 vez ao dia. Caso o paciente não responda, não dá evidência de que doses maiores do que a inicial façam algum efeito. O médico, então, deve reavaliar o caso do paciente.
  • Transtorno do Pânico: a dose inicial recomendada de venlafaxina é de 37,5 mg ao dia, tomada por 7 dias. Em seguida, recomenda-se aumentar a dose para  75 mg por dia. Pacientes que não respondam a dose de 75 mg ao dia podem se beneficiar com a dose diária de 225 mg.

Os comprimidos devem ser ingeridos inteiros. Não se recomenda partir, mastigar ou abrir às cápsulas do medicamento.

Indica-se que a administração do comprimido de liberação controlada seja feita juntamente com alimentos. A administração da droga deve ser feita diariamente, no mesmo horário – conforme recomendação médica. Como mencionado, as cápsulas não devem ser trituradas, mastigadas, abertas ou dissolvidas.

Porém, se necessário, o conteúdo da cápsula pode ser espalhado por uma colher contendo purê de maçã. A mistura deve ser consumida imediatamente após o seu preparo, sem que o paciente mastigue. Em seguida, recomenda-se beber água para garantir a deglutição total do princípio ativo da medicação.

Composição

Cada cápsula de liberação controlada contém 37,5 mg de  venlafaxina; 75 mg de  venlafaxina ou 150 mg de venlafaxina.

Excipientes: amido, sacarose, hipromelose, talco, triacetina e etilcelulose.

Contraindicação

Não deve ser usado por pacientes com Hipersensibilidade à droga ou a qualquer um dos componentes da fórmula desta medicação.

Está contraindicado o uso concomitante com qualquer tipo de droga antidepressiva da classe de inibidores da monoaminoxidase (IMAO). O tratamento com a venlafaxina deve ser iniciado apenas após 15 dias da retirada de medicações do tipo IMAO. Um tempo menor para o início do tratamento com Venlafaxina  após o uso de IMAO pode ser considerado, se o IMAO for do tipo reversível.

O medicamento está contraindicada para pessoas menores de 18 anos.

Efeitos colaterais do Venlafaxina

Venlafaxina costuma ser bem tolerado pela maioria dos pacientes. Porém, como acontece com qualquer outro tipo de medicação, seu uso pode trazer efeitos colaterais.

  • Transtorno Depressivo Maior: foram observados que 5% dos pacientes que usaram este medicamento apresentaram: problemas gastrointestinais (náusea, boca seca e anorexia); ejaculação anormal;  queixas do Sistema Nervoso Central (sonolência, tontura e sonhos anormais) e sudorese. Também, no 5% dos pacientes tratados com a medicação apresentaram queixas de problemas na função sexual (anorgasmia em mulheres, impotência em homens e diminuição da libido em ambos); problemas no trato gastrintestinais (flatulência e constipação); alterações ligados Sistema Nervoso Central (nervosismo, insônia e tremor); problemas cardiovasculares (vasodilatação e hipertensão); problemas oculares (visão anormal) e bocejos.
  • Transtornos de Ansiedade Generalizada: 5% dos pacientes que foram tratados com venlafaxina apresentaram queixas de anormalidades da função sexual (impotência ejaculação anormal); problemas de visão (visão anormal); problemas gastrintestinais (boca seca, náusea, constipação e anorexia) e sudorese.
  • Fobia Social: cerca de 5% dos pacientes que fizeram uso da venlafaxina apresentaram reclamações de problemas no trato  gastrintestinais (boca seca, anorexia e náuseas); astenia; problemas relacionados ao Sistema Nervoso Central (insônia, ansiedade, nervosismo, diminuição da libido, tontura, sonolência); problemas na função sexual (disfunção orgásmica, ejaculação anormal, impotência); bocejos; visão anormal; sudorese.
  • Transtorno do Pânico: observou-se que pelo menos 5% dos pacientes tratados com venlafaxina apresentaram problemas  gastrintestinais (constipação, anorexia, boca seca); anormalidade na função sexual (ejaculação anormal); queixas ligadas ao Sistema Nervoso Central (tremores e sonolência) e sudorese.

Precauções

caixa do medicamento Venlafaxina

Algumas precauções devem ser levadas em consideração em relação ao uso do medicamento.

  • Informar ao médico se existir ocorrência de gravidez durante o tratamento com a medicação
  • Informar ao médico se estiver em fase de amamentação
  • O tratamento não deve ser interrompido sem o conhecimento do médico
  • Não se recomenda a retira brusca de Venlafaxina. A retirada da medicação deve ser feita de forma gradual, com a redução das doses.
  • As cápsulas do medicamento apresentam grânulos. Esses, fazem a liberação da medicação lentamente pelo intestino. Uma parte dos grânulos não é absorvida pelo corpo, sendo eliminada pelas fezes.
  • Informar o médico o surgimento eventual de reações anormais e/ou desagradáveis em relação ao uso da Venlafaxina.
  • Vale ressaltar que as reações relatadas mais comuns foram: fraqueza, dor de cabeça,  aumento da pressão arterial, calafrios e sensação de calor (fogachos). Também foram relatadas redução do apetite, palpitações, náusea, constipação, aumento do colesterol, vômito e perda de peso. Ainda, tontura, sonhos anormais, tensão muscular, boca seca, nervosismo, insônia. Alguns pacientes também reclamaram de sedação, tremor, sensação de formigamento, alterações de comportamento, confusão e suor excessivo. Além disso, ocorreram ainda distúrbios sexuais, alterações visuais, distúrbios menstruais e alteração urinária.
  • Pacientes com tendência a cometerem suicídio devem ser monitorados no início do tratamento com a venlafaxina.
  • Pessoas em tratamento com a Venlafaxina pode alterar a capacidade de operar máquinas e guiar veículos

Outras Precauções

  • O uso de venlafaxina não demostrou aumentar alterações motoras e mentais em conjunto com o álcool. De qualquer forma, deve-se evitar, durante o tratamento, o consumo de bebidas alcoólicas
  • A Venlafaxina deve ser usada com cautela por pessoas portadoras de insuficiência renal ou hepática
  • Em alguns pacientes foi observado o aumento da pressão arterial, que estavam em uso de doses altas do medicamento Assim, nesses casos, é preciso fazer um rígido controle da pressão arterial durante o tratamento com venlafaxina
  • Há relatos de midríase (dilatação da pupila) durante o tratamento com a venlafaxina. Nesses casos, está recomendada monitorização rigorosa desses pacientes que apresentam pressão intraocular alta ou fatores de risco para glaucoma
  • Em alguns casos, o uso desse medicamento demonstrou prejuízos no raciocínio, julgamento e habilidade motoras
  • Estudos clínicos concluíram que não há risco de tolerância ou elevação à Venlafaxina

Interação com outros remédios

caixa de Venlafaxina

Como ocorre com todos os medicamentos, o uso pode interagir com outros remédios. Essa interação pode aumentar os efeitos da medicação ou reduzir. Também pode trazer danos ao paciente, dependendo do caso.

Portanto, deve-se e evitar ou ter cautela no uso concomitante com os seguintes medicamentos ou substâncias:

  • Bebidas alcoólicas
  • Cimetidina
  • Diazepam
  • Haloperidol
  • Medicamentos com alta taxa de ligação às proteínas plasmáticas
  • Medicamentos que inibem as isoenzimas do citocromo P-450 – inibidores da CYP2D6
  • Cetoconazol
  • Metoprolol
  • Risperidona
  • Indinavir
  • Inibidores da monoaminoxidase
  • Medicamentos ativos no Sistema Nevoso Central

Venlafaxina Preço

  • 32,75 mg com 30 cápsulas custa em torno de R$ 60,00
  • 75 mg com 30 cápsulas custa cerca de R$ 130,00
  • 150 mg com 30 cápsulas custa em média R$ 210,00

Os preços podem apresentar variações de acordo com o estabelecimento que comercializa o produto.

Para comorar Venlafaxina são necessárias a apresentação e a retenção da receita médica.

Venlafaxina Genérico

Venlafaxina possui versões genéricas, vendidas pelo nome da própria substância.

Pergunta dos leitores

Venlafaxina emagrece ou engorda?

Venlafaxina não é uma medicação indicada para o emagrecimento. A perda de peso é apenas um dos efeitos colaterais possíveis de ocorrer com alguns pacientes.